terça-feira, 1 de maio de 2012

Recontruir o Titanic realmente vale a pena?

Parece profecia. 100 anos depois da tragédia do Titanic, um empresário, que até então ninguém conhecia, aparece com um projeto para se construir um novo Titanic. Mais moderno e seguro do que nunca, este Titanic já está sendo chamado de “inafundável”, pelo menos foi o que a mídia disse. Mas se levantarmos algumas questões no ar, nos depararemos com a pergunta: é realmente importante e interessante se contruir um novo Titanic?
Estive conversando com vários amigos, o Sergio Claudiano, o Victor Vila, a Laísa Raupp e o Daniel Capella, por exemplo, cada um com seu ponto de vista sobre o assunto, e vi que este assunto ainda vai gerar muitas e muitas páginas de discussões e ainda dará muito o que falar…
O real RMS Titanic afundou há exatos 100 anos atrás e levou consigo 1.500 pessoas. Isso não é novidade pra ninguém. Mas isso nos leva a pensar que milhares de famílias sofreram na época e se contruir um novo Titanic seria quase que uma falta de respeito e mais uma falta do que fazer deste empresário. A própria Millvina Dean já expressou que não gostava de filmes referentes ao navio e dizia que se uma pessoa visse da perspectiva dela e fosse uma sobrevivente, entenderia como é triste e doloroso ver o navio que matou seu pai, sendo representado na tela dos cinemas, imagine agora o navio recriado. Não há mais sobreviventes do Titanic vivos, mas há seus descedentes e familiares que sentiriam a dor da perda de seus ancestrais na tragédia do navio. Então, torna-se desnecessário se contruir um Titanic II. Eu mesmo não consigo aceitar essa ideia de ter outro Titanic navegando por aí.
Uma outra questão muito interessante a se levantar é a questão do projeto e do nome do navio. Conversei sobre isso com o Daniel Capella, e ele nos apresenta algumas ideias que são, no mínimo, muito interessantes de serem analisadas. Na época o RMS Titanic era uma propriedade da empresa britânica de navegação White Star Line. A White Star Line, mais tarde, foi absolvida pela sua arquirrival Cunard Line, devido a uma série de fatores que levaram a WSL ao declínio.
Ainda hoje, a Cunard Line existe e é muito conhecida por ser proprietária dos luxuosos cruzeiros Queen Mary 2, Queen Elizabeth e Queen Victoria. Então, se a Cunard Line ainda existe e ela adquiriu a White Star, a Cunard é a detentora dos direitos sobre o nome e o designer do Titanic. Na época em que o Titanic foi contruído ra a época da constante guerra entre as empresas de navegação para construir o melhor navio, uma verdadeira corrida armamentista. Qualquer ideia do adversário para seu uso próprio poderia ser roubada, então com certeza deveria haver leis sobre o roubo de ideias no designer, nome e tudo mais em um navio. As companhias atualmente registram como trade mark o nome de seus navios. Naquela época isso já existia. Esse projeto, se sem autorização é um verdadeiro plágio, e a Cunard poderia lutar na justiça contra isso, apesar de ainda não ter se manifestado sobre o caso.
Cunard Line - tecnicamente ainda  a detentora dos direitos sobre o Titanic
Então o Titanic II, seria um plágio, seria uma forma de desconsideração com as vítimas de um Titanic e ainda acarretaria um próximo aspecto a ser analisado. Este Titanic II pode acabar ofuscando a história do 1º Titanic, pois ele não está com uma missão de recriar perfeitamente o navio, ele será uma versão moderna do Titanic. Então o RMS Titanic corre sério perigo de afundar na memória coletiva. Desde 1912 se propõe contruir um novo Titanic, mas desta vez, as coisas realmente parecem sérias.
Além de tudo isso, temos outras duas questões a serem pensadas. Um delas é que o nome, a história e a tragédia do Titanic estará sendo usada para levantar dinheiro para as mãos de um empresário. Ou seja, a morte de 1.500 pessoas estaria sendo utilizada para o lucro e a vantagem monetária. A outra é que este novo Titanic está sendo usado como um tipo de arma política, uma vez que quem irá construí-lo é uma empresa estatal da China comunista, e o navio fará rotas entre os Estados Unidos e a Europa. Então o Titanic II seria uma estratégia política além de uma grande fonte de lucratividade.
Mas quais seriam os aspectos positivos dessa história toda? Muitos, claro. Para qualquer fã do navio, só de pensar em poder embarcar em um Titanic já é um sonho. E pode ocorrer o contrário do que falamos anteriormente: com esse Titanic II, a história do 1º Titanic pode se tornar mais popular do que já é, e corre o risco de ficar um bom tempo nos noticiários e na memória coletiva.
Outro fator positivo é que a contrução de um novo Titanic poderá facilitar o estudo de alguns aspectos do navio. Muitos estudiosos poderiam se utilizar dos espaços do navio, e sua forma, para entenderem melhor como ocorreu os momentos finais de seu antecessor.
E você? O que tem a dizer? O que você pensa sobre o assunto? Use o espaço dos comentários para expressar sua opinião…

Link interessante para essa matéria:



11 comentários:

lay disse...

Concordo com tudo que foi dito nesse post! Bom, minha opinião serve pra muitas situações: nem tudo um dia vai agradar a todos não é?
A reconstrução do Titanic vai ser boa e ruim ao mesmo tempo. Eu sou mais contra. Mas se eu pudesse embarcar neste novo Titanic, iria ser um sonho realizado para mim.

SERGIO JUNIOR disse...

Concordo com tudo dito no post amigo, eu acho essa idéia de Titanic II uma falta de respeito, pessoas morreram no Titanic original, e outra, não dá para ter dois Titanics, é só 1, um unico que me fascinou, que me fez me emocionar e conhecer tantos amigos novos, esse Titanic II não está com nada.
A Cunard bem que podia mandar esse bilhonario pra Justiça, a Cunard tem mais grana e pode contratar ótimos advogados.
Esse cara não tem o que fazer mesmo, então quis desrespeitar a memória de tão belo navio e todos os que trabalharam em sua construição e todos que viajaram e pereceram nas gélidas águas do atlântico norte naquela madrugada de 15 de Abril.

Bem, essa é minha opinião, estou aberto para ouvir a opinião de demais Titânicos.

Abraços amigo, parabéns pelo blog.

Daniel Capella disse...

Muito bom Lucas. Realmente, há todos esses pontos que o tal do empresário sequer ousou tocar, mas que são, sem duvida importantes.

O tempo nos dirá o que vai realmente acontecer, mas eu, como já lhe disse tenho meu palpite. Não é tão simples assim, reconstruir o Titanic envolve diversos universos, e etc, como você falou bem na postagem...

Izaque disse...

Nada a ver Lucas, a visão dos parentes dos sobreviventes será DIFERENTE dos sobreviventes na época, tanto é que ele terá mais tecnologia, fique tranquilo amigo, agora SIM vai ter o Titanic e realmente vamos estar nele

Paulinho Ricci jr disse...

Mas , a questão do nome e designer ... pelo que eu sei , a carnival comprou a cunard , então o nome TITANIC pertence a carnival corporation, e eu acho que a carnival não vai fazer questão se for usado o nome e o designer do Titanic , pois , o projeto não é de interesse da carnival , isso eu tenho 80% de certeza , sou a favor do TITANIC || e gostaria muito de embarcar nele

thais quirino disse...

concordo com o milionário,renconstruir o TITANIC,é o maximo,a HISTÓRIA que era do passado,desde a noite que o TITANIC afundou,agora vai se repetir,nao tou dizendo que vai afundar,tou dizendo que o navio vai voltar a vida,e eu vou estalar no TITANIC,se DEUS quizer,é um sonho que quero realizar...
E as pessoas que estão falando mau do TITANIC fiquem quietos,vcs nao estavam lá pra saber o sofrimento das pessoas que morreram,e como vosses podem saber que os familiares das pessoas nao querem que construam ou querem respeito,por acaso vcs estao com essas pessoas não né,entao nao falem besteira porque aposto que quando o TITANIC estiver pronto para sair em 2016 vao vao lá correndo pra ver...

Lucas Rubio disse...

Cara, Thais Quirino, a qual não tem nem a capacidade de escrever seu próprio nome corretamente, este espaço é para expôr sua ideia com educação, não agressivamente como você fez... Volta pro seu Titanic de Jack e Rose e quando aprender a ser gente e ter educação, você volta aqui para conversar no nosso patamar...

Agradeço,

Lucas Rubio - Administrador do blog

AIR SUPPLY EVOLUTION STAR disse...

Eu já acharia legal fazer um segundo sim, para as pessoas de agora e as novas gerações terem a oportunidade de o conhecerem "pessoalmente" e terem a experiência de viajar nele. E quanto ao trecho do texto: "Ainda hoje, a Cunard Line existe e é muito conhecida por ser proprietária dos luxuosos cruzeiros Queen Mary 2, Queen Elizabeth e Queen Victoria. Então, se a Cunard Line ainda existe e ela adquiriu a White Star, a Cunard é a detentora dos direitos sobre o nome e o designer do Titanic."
Muda o nome do navio para LOOPING STAR então!! Fácil, prático e simples, mantendo apenas o design.

AIR SUPPLY EVOLUTION STAR disse...

Boa bronca na Thais, hein, capitão Lucas!! hahaha Não soube que a Carnival comprou a Cunard, senão ela teria mudado de nome. Mas dentro do grupo Carnival há várias companhias. Por que então a própria Cunard não faz o 2o Titanic?? Com certeza, como disse, para as pessoas de agora e as próximas gerações, seria um sonho a experiência de viajar nele, conhecê-lo pessoalmente. Vale lembrar que o transa original afundou por ganância e erro humano.

Anônimo disse...

Para alguns o Titanic II vai ser um navio qualquer, para outros será o simbolo de uma era e para outros uma blasfêmia.

Joel Junior Araujo França disse...

Ola pessoal,na minha opinião o Titanic 2 não representa nada, é so uma copia mal feita de um projeto perfeito. Quando as pessoas entrarem nesse "Titanic" e verem que não tem nada a ver com o outro logo essa fascinação vai acabar... Ta ai o meu palpite👈 valeu