quinta-feira, 21 de abril de 2011

Titanic Artefatos: uma história em cada peça


Introdução
Amigos, venho neste post listar 17 ítens recuperados da zona dos destroços pela RMS Titanic Inc. Variam de ítens de beleza, cartas e postais, roupas etc. Estão em conservação inimagináveis para quase um século de naufrágio e contam uma parte da história do Titanic, como e com o que os passageiros eram atendidos na 1ª Classe pela tripulação. Espero que gostem deste árduo trabalho de adaptação.
Vaso de cristal

Vaso de cristal da 1ª classe
Este vaso servia para guardar flores frescas; eles eram encontrados frequentemente em quartos luxuosos da 1ª Classe do Titanic. Esse vaso em forma de ampulheta, com bordas modeladas, agradava muito os passageiros devido a beleza e brilho. O logotipo da White Star Line é visível perto da base do vaso. O artefato foi recuperado na área do naufrágio. Note como o vaso está impecável, mesmo estando submergido há décadas.
Pulseira de ouro


Este encantador artefato é uma pulseira de ouro. Com um lindo fecho em forma de cadeado e coração. A pulseira tem o cadeado de segurança quebrado, mas é possível que o cadeado de segurança tinha uma pequena chave para destravar o fecho. Com base numa imagem da pulseira já existente, deduza-se que o fecho da pulseira foi feito em Chester na Inglaterra, entre 1907 e 1908. O cadeado em forma de coração estava na moda no período Edwardiano e Vitoriano e era considerado um charme, usado também como pingente. Fotos históricas e desenhos da época mostram pulseiras semelhantes, indicando que foi um estilo popular na época. Esta pulseira foi encontrada no fundo do oceano no local do naufrágio, dentre muitos artefatos, e é um belo pedaço da História do Titanic.
Pino de cabelo


Os penteados das mulheres estavam começando a mudar em 1912, no momento em que o RMS Titanic navegou. Os cabelos eram longos, e eram mantidos em em estilo de coque. Havia estilos principais como um coque frouxo e longo, e um coque na altura do pescoço. Ambos os estilos foram concebidos para realçar o gracioso pescoço e ombros de uma mulher. Este pino de cabelo, encontrado no local do naufrágio, provavelmente foi usado por uma passageira do Titanic. Nele encontra-se uma inscrição chinesa que significa, irônicamente, “Longa Vida”. Há fontes que registram o objeto como um adorno em chapéus e que na verdade a inscrição dizia: “Felicidade Eterna!”. Estilos orientais eram comuns na época.  
Cartão postal do dia de St. Patrick

Este artefato foi um cartão postal, e foi enviado para Howard Irwin, um passageiro que estava a bordo do Titanic. Ele não possui nenhuma data ou carimbo e foi encontrado nos escombros dos destroços. O canto superior direito do postal possui a frase: "Erin Go Bragh", uma frase gaélica que significa "Irlanda para sempre". A frase "São Patrick's Day Souvenir " é visível na parte inferior.
No centro do postal há uma imagem de Blarney Castle, localizado a cinco milhas da cidade de Cork, a cerca de 13 quilômetros de Queenstown. Dermot McCarthy era o rei de Munster e construiu o Blarney Castle em 1446. São Patrick é o nome do patrono da Irlanda. Por mais de 1000 anos, a Irlanda comemorou o aniversário da morte de São Patrick.
Cartão postal do dia dos namorados
 
Este cartão de Dia dos Namorados foi recuperado, novamente, da bagagem de Howard A. Irwin. Tinha sido enviado de Hamilton, Ontario, Canadá, em 1910, para seu endereço em Cleveland, Ohio. Irwin havia programado embarcar com um amigo no Titanic, em sua viagem inaugural; mas por alguma razão, ele nunca embarcou no navio (embora sua bagagem tenha sido enviada a frente dele, sendo transportada pelo navio na viagem). No começo do século XX, os postais eram uma forma popular de comunicação, e hoje os postais deste período são "objetos de coleção”. Este cartão foi produzido por Raphael Tuck & Sons, de Londres. A empresa foi criada em 1867, e em 1900, tinha entrado no mercado postal. "Cartões postais Tuck", como eram chamados, são distinguidos pelo seu logo, que se refere à empresa como "Editores de arte de Suas Majestades o Rei e a Rainha"
Catálogo de perfumes


Este cartão de perfume foi encontrado na bagagem de segunda classe do RMS Titanic e era do passageiro Franz Pulbaum. O cartão foi produzido com o cheiro de um perfume de Eólias e foi criado pela “Câmara dos Lenthéric” em Paris. Lenthéric foi criada em 1875 por Guillaume Lenthéric, um cabeleireiro, que criou um império de perfumes em um pequeno salão na rua Saint-Honoré, em Paris, que atendia a aristocracia. Como o negócio se tornou rentável, Lenthéric construiu uma fábrica em Courbevoie, nos arredores de Paris, e foi reconhecido como um dos melhores designer’s conhecidos e fabricantes de novos perfumes. Pulbaum poderia ter pego este cartão em qualquer lugar de Paris, mas, o mais provável foi que ele pegou na Casa de Lenthéric. Lenthéric hoje ainda produz perfumes originais.
Amostra de perfumes

Recuperado na Expedição de 2000, este caso notável de artefato, continha 62 frascos de perfume, com seus rótulos e ainda com as caixas de metal exteriores de proteção(!). Alguns dos frascos tinham quebrado e não continham qualquer perfume.
Alguns dos rótulos de perfumes são legíveis e ainda se dá para identificar aromas do perfume: Cravo, Musk, Lírio do Vale, e Cashmere Bouquet, são alguns deles. Uma caixa de metal de proteção, parcialmente danificada, é ainda visível na fileira superior do catálogo de couro.
Este catálogo pertencia originalmente a Adolphe Saalfeld, fabricante de perfumes de Manchester, Inglaterra. Com 47 anos de idade, Saalfeld embarcou no Titanic na primeira classe do navio. Ele levou este catálogo de couro cheio de perfumes e amostras a bordo do navio. Na época em que o Titanic navegou, o negócio do perfume americano foi crescendo: Saalfeld tinha a intenção de vender suas fragrâncias em boutiques de moda e lojas de departamentos em Nova York, ou em outras grandes cidades americanas. 
Carta de imigração

Marian Meanwell, um chapeleiro britânico, era um passageiro da terceira classe do RMS Titanic. Ele decidiu sair da Inglaterra e começar uma nova vida em Nova York aos 63 anos. Muitas cartas e documentos pessoais foram recuperados de sua bolsa de pele de jacaré na área naufrágio.
A foto acima é uma carta de recomendação de seu senhorio em Wandsworth (sudoeste de Londres), indicando que Marian era um inquilino de confiança. A nota manuscrita é datada de 1º de maio de 1911 e afirma: "Isto é para certificar que Miss Meanwell sempre foi um bom inquilino e rápido no pagamento de seu aluguel. Wheeler Sons & Co. "
As cartas de referência foram importantes documentos para imigrantes planejando se mudar. Wheeler Sons & Co., foi um negócio que tratava disso. Acredita-se que esta carta seria para o aluguel de um apartamento em Nova York. Ele não sobreviveu ao naufrágio.
Querubim da Grande Escadaria
 
Este objeto, é talvez um dos mais reconhecidos na RMS Titanic Inc. na coleção de artefatos. Esse querubim foi recuperado em 1987 e está faltando sua base do pé. Esta perda provavelmente ocorreu quando o querubim foi arrancado de sua base na escada.
A “Grand Staircase” era um lugar de encontro favorito para os passageiros da primeira classe. Os passageiros se reuniam ali antes de uma visita ao banho turco ou após o jantar. Cada nível da escada era decorado com embutidos em madeira e ornamentos dourados. Esse querubim bronze enfeitou uma das seções superiores.
A Grande Escadaria descia através de seis pavimentos e era coberta por uma cúpula de ferro e vidro. Percebe-se que este querubim é da Grande Escadaria de popa do Deck C. O peso é menor do que os querubins da escadaria principal de proa.
Lâmpada de leitura

Este pedestal era produzido em prata e poderia ficar em pé em qualquer lugar no navio, mesmo em tempestades em que o navio se movimentava bastante.
Para os passageiros que queriam ler na cama, esta lâmpada era ideal, permitido a colocação em cima da cama, em um gancho na parede. Esta lâmpada foi recuperada na expedição de 2000.
 
Bule de cerâmica
 
Este bule Brownware simples, que falta de tampa, é o artefato descrito pela primeira vez no banco de dados, a partir da expedição de 1987. Tem estilo 'Chinese Ginger Pot' e uma alça em forma de 'C'. O interior e o exterior têm um “ambiente aconchegante”, marrom escuro e brilhante devido o verniz. O corpo é decorado com uma aplicação de folhas de videira, e a decoração floral em estilo ingênuo, parece ter sido executada em uma pintura metálica de ouro, que é, ligeiramente, visível. Embora os bules Brownware fossem usados no serviço a tripulação, este bule foi pintado a mão e, provavelmente, era propriedade de um passageiro.
Chaleira a vapor

Esta enorme chaleira a vapor de água, era mantida no ponto de ebulição para utilização na primeira e segunda classe. Ela, originalmente, abrigava um recipiente em forma de cúpula feito de cerâmica. Esta foto foi tirada antes de conservação do artefato.

Calças de pijama

Este par de calças "pied de poule" ou "Houndstooth" foi recuperada dentro de um saco de couro com três pares de pijama, três casacos, dois pares de luvas, dois coletes, e outros cinco pares de calças.
As calças têm vários manchas de ferro, e as calças sofreram pequenas perdas. Há uma cinta com fivela e um único bolso abotoado de material branco na parte de trás das calças.
Houndstooth foi um dos padrões de seleção mais facilmente identificáveis na virada do século. É produzida em um padrão de listras.

Chapéu

Este chapéu foi encontrado dobrado em um quarto, dentro de um saco de couro que pertence ao passageiro Edgar Andrews. É feito de lã com um forro interno de seda. A fabricante da etiqueta encontrada no interior tem o nome de "Peter Bennett 58 Commercial Road Bournemouth." Ele também tem uma fita de gorgorão como um arco que circunda a parte inferior do chapéu.
Chocolateira de prata

Esta chocolateira de prata, muito bonita, foi recuperada em 1987 e cuidadosamente conservada para estabilizar a superfície de prata. Esse pote é um espantoso pedaço da história do Titanic. Foi utilizado para servir bebidas quentes (chocolate e café com leite) nos restaurantes da primeira classe a bordo do Titanic.
O fundo tem a inscrição "Goldsmiths & Silversmiths Company 112 Regent Street ", juntamente com o logotipo da White Star Line e o número padrão. Esta empresa, localizada em Londres, foi também uma das fornecedoras de prata para o Queen Mary. Além de produzir talheres de prata, esta empresa também fez outros ítens, como espadas cerimoniais de almirantes britânicos.

Mala de couro

A RMS Titanic Inc. recuperou este incrível artefato durante a expedição de 1987. Esta peça de bagagem é em estilo Gladstone. Era frequente o transporte de objetos e bagagens neste tipo de bolsa de couro.
Porta de cofre

Esta imagem mostra uma porta de aço e bronze, que era de um dos vários cofres a bordo do Titanic. Na placa circular do fabricante, na parte dianteira lê-se: "Thomas Perry & Son LD. Resistente ao fogo". No centro foi colocado um escudo ladeado por um leão e um unicórnio, com uma faixa dizendo em francês: "Dieu et mon Droit". O emblema é uma réplica do selo britânico e da monarquia com o seu lema: “Deus e meu direito”. Usando esse selo, a pessoa indicada, provavelmente teve patrocínio real.
Thomas Perry & Son foi criada em 1806 como uma fundição de ferro, que produziu as placas de armadura. Durante o século XIX, também tornou-se respeitada pela alta qualidade em cofres portáteis que produziram.
Mas, como são conservados?
Depois que os artefatos são recuperados do Oceano Atlântico, são cuidadosamente documentados e estabilizados para o transporte de volta aos Estados Unidos. A cada artefato é atribuído um número de acesso único, eles são vistoriados, medidos, fotografados, estabilizados e envolvidos para o transporte.
Os artefatos são transportados em banheiras de água salgada, projetadas para imitar as condições do ambiente de onde foram recuperados, e assim, retardar a corrosão que acontece na presença de oxigênio, e na pressão diferente da superfície oceânica. 
Uma vez de volta aos Estados Unidos, os artefatos são submetidos a um longo e lento processo de conservação.
¬ Dedicado especialmente para os amigos: Alencar, Rodrigo Piller, Sergio e Pedro Delano.
Empresa responsável pelas expedições

11 comentários:

SERGIO JUNIOR disse...

Parabéns pelo post,eu sempre quiz saber mais sobre os artefatos recolhidos do naufrágio.
E fiquei boquiaberto em ver que um vaso de cristal foi resgatado intacto.
Muito interessante.
ABRAÇOS!!

Anônimo disse...

Parabéns pela sua dedicação!
Vou falar uma frase para você saber quem escreveu:É do Brasil cara!
UASHUAHSUAHUS.

Rodrigo Piller disse...

Que descrição ótima, cada ítem carrega um fardo histórico imenso e, não fosse a RMS Titanic INC, onde estariam estas peças? Ao certo distrubuidas pelo mundo nas mãos de colecionadores sem escrúpulos.

É interessante ver que tanta coisa ainda está intacta, desde papel à vidro, que mesmo sendo tão diferentes na fragilidade, foram beneficiados pelas condições de repouso ou pela localização.

Adorei ler as descrições. obrigado pela dedicatória. Grande abraço.

Anônimo disse...

Essa hestória ira para bem longe,amei o Titanic, ta de parabéns.

carlosliborio disse...

Parabéns pelo seu Blog e trabalho de pequisa, muito interessante emsmo, coloquei nos meus favoritos e também salvei as imagens, gostei da trilha da Ennya também casou bem

Forte Abraço

joãopaulotitanic disse...

muito legal alguns itens parecem intactos

Alencar Silva disse...

Excelente post.
Obrigado pela dedicatória.

Anônimo disse...

parabens pelo post
muito interessante
e o primeiro blog a documentar filmes e documentarios parabens Lucas

pra vc sabe quem sou eu

É isso ai Manoloooooooo

Pedro Delano disse...

Parabéns cara. Muito Obrigado pela lembrança. Seu blog é muito interessante e inovador.

Anônimo disse...

a historia do titanic ainda guarda mais misterios

Andre Pinheiro disse...

Gostei muito do site ter a oportunidade de ver essas peças resgatadas do Titanic é como fazer uma viagem no tempo sempre tive curiosidade sobre o naufrágio e as informações colhidas aqui foram enriquecedoras parabéns aos criadores e continue com esse trabalho que é sensacional.